Passeio, com ou sem trela?

26/04/2018

O passeio diário do seu amigo de quatro patas é um momento bastante importante para que este possa desfrutar do ar livre, gastar as sua energias e viver novos estímulos. Neste momento muitos se dividem sobre como deve ser este passeio, nomeadamente no que diz respeito ao uso da trela.

Certamente já se depararam com tutores que optam por passear o seu amiguinho sem trela, mas será que é o mais correto? Quais os riscos? Que vantagens? O que diz a lei? São estas as preguntas a que queremos esclarecer com este artigo.

Aquando da caminhada na rua, a trela é o elemento que permite realizar a ligação física entre o cão e o tutor. Este facto tem especial relevância no que diz respeito à segurança, quer do cão quer das outras pessoas que circulam na via pública. A lei portuguesa diz que o uso da trela é obrigatório, podendo ainda, em alguns casos e conforme a raça ser também necessário a utilização de açaime.

Numa cidade, os riscos são enormes e que por muito bem-educado que o cão esteja podem nele despoletar uma reação inesperada que o pode colocar a si mesmo e a outros em perigo.

Por exemplo, imagine que está passeando o seu cão numa cidade e este vê do outro lado da estrada outro cão passeando com o seu tutor. O seu cão como é bastante sociável e gosta de conviver com outros cães precipita-se em direção ao outro cão para poderem se cheirar. No entanto é necessário ter em conta que existe uma estrada no meio e que podem estar nesse mesmo momento a passar algumas viaturas. Assim, por muito inofensivo que o comportamento do seu cão possa ser, o facto de atravessar a estrada pode causar um acidente onde ele e outro poderão sair magoados.


Para além desse facto de segurança evidente, deve pensar também que nenhum cachorro deve ser obrigado a conviver com o seu por muito amigável que ele seja. Além disso, nunca se sabe se o outro cachorro é tão sociável como o seu e nem se esta na disposição de conviver com o seu.

Outro caso que acontece bastante é aquando de passeios no campo ou na floresta. Neste caso muitos são os donos que optam por deixar o seu cão andar sem trela e embora não existam tantos perigos como na cidade é sempre possível o aparecimento de outros cães ou outros animais que podem provocar uma reação no seu e deve ter sempre isso em conta. A vantagem de deixar o seu cão andar sem trela é que pode proporcionar-lhe estímulos mais interessantes, não estando restritos ao perímetro possível pela trela.

Embora concorde que os cães devam ter espaços próprios para se passearem livremente, é aconselhável que esses locais sejam bem conhecidos pelo tutor de forma a poder precaver-se de riscos eventuais. Nesse sentido uma primeira visita de reconhecimento do local sem o cão, ou com o cão em trela, deve ser acautelada.

Certifique-se que o treino básico de obidiencia está bem consolidado pelo seu amiguinho, ou seja, que os comandos "senta", "fica", "aqui", "junto" e "não" tem uma resposta adequada pela parte do seu cão independente do ambiente e dos estímulos a que este esteja sujeito.