Redireccionamento da agressividade (ou da mordida)

27/11/2020

Começo este artigo com uma pergunta. Certamente já presenciaram dois cães num quintal a ladrar a algo (pessoa, cão, gato, mota, etc...) que passa na rua. O que acontece em seguida?

Já repararam que muitas dessas vezes a situação evolui para que um desses dois cães ataque o outro? Pois é, a isso chamamos redireccionamento da agressividade (ou da mordida) e é sobre isso que vamos falar neste artigo.

O redireccionamento da agressividade consiste na agressividade causada por excesso de excitação provocada por um determinado estimulo que todavia esta inacessível ao cão. O facto do estimulo que lhe causa essa excitação estar inacessível provoca no cão uma sensação de frustração exagerada e por isso o cão acaba por redirecionar essa frustração sobre algo ou alguém que lhe está acessível.

Por outras palavras, o redireccionamento da agressividade é o desvio da agressividade (ou da mordida) do estimulo que originou um excesso de excitação para outro estimulo alcançável.

Adicionalmente é importante referir que a agressão (ou mordida) acontece sempre que o cão está num estado de excitação elevado e quanto mais tempo o cao permanecer nesse estado mais provável é a ocorrência de uma mordida.

Voltando ao exemplo dos dois cães no portão vejamos ao pormenor o desenrolar da situação:

  • O cão (A) deteta a aproximação do carteiro;
  • À medida que o carteiro se aproxima para colocar as cartas no correio o nível de excitação do cão (A) começa a subir (estimulo desencadeador);
  • O cão (A) começa a ladrar;
  • O cão (B) até então a dormir junto à casa acorda e junta-se ao cão (A) perto do portão a ladrar ao carteiro;
  • O facto de ambos os cães estarem a ladrar ao carteiro faz aumentar o nível de excitação do cão (A);
  • O carteiro aproxima-se para colocar as cartas;
  • O cão (A) quer perseguir o carteiro, mas como está do lado errado do portão não consegue (impossibilidade de alcançar o estimulo desencadeador);
  • A frustração do cão (A) aumenta;
  • O cão (A) redireciona a sua frustração para o cão (B) e morde-o (estimulo alcançável);
  • O carteiro afasta-se até desaparecer do campo de visão dos cães (ausência de estimulo);
  • Ambos os cães se acalmam.


Este é o caso típico, contudo existem outros exemplos, por exemplo quando dois ou mais cães estão à janela, nos abrigos de cães onde existe um excesso de população por cada jaula, etc.

No caso do redireccionamento da agressividade a mordida raramente é forte o suficiente para provocar grandes ferimentos, mas temos sempre que ter em conta o tamanho do cão. É bastante importante ter muita atenção quando se trata deste tipo de casos, uma vez que os movimentos de redireccionamento são bastante rápidos e imprevisíveis.

Como resolver o problema?

A resolução deste problema requer muito cuidado e deve ser sempre guiado por um profissional experiente por forma a não aumentar o problema em vez de o resolver. Não nos podemos esquecer que quando um cão morde, os seus níveis de stress e frustração baixam, podendo esse facto levar ao reforço do comportamento.

Aqui fica uma metodologia passo a passo bastante eficaz na resolução deste problema:

  • Identificação do estímulo desencadeador

Através da observação da situação deve ser identificado o motivo pelo qual o cão entra nesse estado de excitação exagerado.

  • Prevenção

Em seguida o mais importante a fazer é evitar que o cão entre num estado de excitação elevado e assim prevenir que esse comportamento aconteça, ou seja, se o cão fica híper-excitado quando está perto do portão a ver pessoas ou outros animais passarem, então a medida preventiva é evitar que o cão esteja ao portão quando existe a possibilidade de passar alguém.

  • Estimulação física e mental

O principal motivo dos casos de redireccionamento da agressividade é o excesso de excitação, então, como forma de evitar este problema deve proporcionar ao cão exercício físico para que este liberte a sua energia. Adicionalmente e tão importante como o exercício físico é a estimulação mental (enriquecimento ambiental) de forma a manter o cérebro do seu cão ocupado e sem que entre em ansiedade e stress (15min de boa estimulação mental é equivalente a 45min de passeio na rua). Um cão cansado/relaxado tem menos probabilidades de apresentar este comportamento.

  • Processo de modificação comportamental e contra condicionamento

Este passo é bastante importante. É neste momento que o cão vai estar num estado mental capaz de aprender que não é assim que se deve comportar. Neste passo é ensinado ao cão comportamentos alternativos aquando da presença do estimulo desencadeador como por exemplo, o deitar à porta; ir buscar uma bola ou simplesmente estar sentado perto do tutor.

Finalmente, é importante lembrarmo-nos que o redireccionamento da agressividade é um comportamento normal no meio selvagem como resposta a uma emoção (frustração), mas que vivendo em sociedade (com os humanos), este comportamento é bastante indesejável. Por isso tem que ser trato de forma a ensinar ao cão a se comportar de forma mais "saudável" perante estas situações. Não se esqueçam também que deve ser sempre acompanhado por um profissional.

Referências